domingo, 13 de março de 2011

A LUA E A NOITE
(Kátia Borges)
 
Fuga. É só no que penso.
Um ponto, pêndulo,
no qual se dependura a vida toda.
 
Ainda criança, lendo Poe.
As letras escorrendo, veias adentro.
Caminhos de estranheza veias adentro.
 
A vida toda lendo,
dependurada em um pêndulo.
A vida toda trancada fora, por dentro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário